domingo, 17 de fevereiro de 2008

LÍGIA

Na bondade transparente, num brotar de amizade
Conseguiste sempre dar amor, palavras de estímulo
Ouviste, respeitaste, sofreste calada.
Mostraste sempre o teu sorriso
A amizade foi sempre uma constate na vida, sacrificaste-te pelos outros, mas para ti nunca foi sacrifício, foi sempre bom por ajudar.
Há poucas pessoas que possam ser dignas como tu.
Hoje lutas por ti com certezas e incertezas mas mostras que nada te é estranho.
A tua coragem surpreende-me, acho que tudo em ti me surpreende.
És a mãe que muitos gostariam de ter.
A senhora que todos queremos como amiga, porque és e serás a verdadeira amizade em pessoa.
O que passas hoje para nós injusto, para ti parece que não, porque mais uma vez tu olhas o lado positivo da vida.
Só peço que continues com esse teu belo sorriso.
Porque nós precisamos dele Lígia.
Obrigada por existires LIGIA

1 comentário:

margarida disse...

Li o teu texto e não podia estar mais de acordo, por isso acrescento-lhe este poema da sophia de Mello Breyner, para também eu lhe fazer a justa homenagem

Beijinhos Egidio e parabéns por te lembrares dela

Porque

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.
Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.
Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.



Sophia de Mello Breyner