sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

A NOVA ORDEM


O impensável aconteceu. Ontem, em Cantanhede, cerca de quatrocentas pessoas fizeram um cordão humano para transmitir uma mensagem de solidariedade a Renato Seabra, o filho da terra que torturou e assassinou Carlos Castro no passado dia 7. Parece que os de Cantanhede instauraram uma pequena nova ordem [...] mas Carlos Castro não pode ser o bode expiatório que paga pelo insucesso de todos os aspirantes ao estrelato na cultura pimba. Médica de profissão e presidente da JSD de Cantanhede, a irmã do homicida devia ser a primeira a demarcar-se destes actos.

Decerto a opinião pública aguarda que as associações de defesa dos direitos LGBT tomem posição sobre o assunto.

7 comentários:

Anónimo disse...

Não consigo simpatizar com a figura de Carlos Castro, mas revolta-me que um rapaz que mata outrem, o espanca e o mutila, tenha direito a manifestações de solidariedade. Lembro-me do caso do rapaz que matou a Joana Fulgêncio. Ninguém fez manifestações de solidariedade a favor dele.. Será porque a Joana era nova, bonita e rapariga?? Não há razões que justifiquem um homicídio desta natureza e é macabro que haja quem sinta solidariedade por este rapaz. Ainda que seja admissível que um homicídio aconteça em auto-defesa ou num acto de desespero, a forma como o Renato o fez foi doentia. Ele merece ser preso, e ainda bem que o crime aconteceu em New York, onde a pena aplicada é bem mais pesada do que aqui.

Anónimo disse...

"Existe de facto aqui uma grande desproporcionalidade entre ambos, a idade e obviamente a vivência, não é comparável! só não vê isto quem não quer!"-Isto é que se ouve dizer de muitos mas quando é uma rapariga de 19 anitos a casar ou juntar-se com milionário de 80 anos já nada é imperfeito antes pelo contrario, talvez se diga que a rapariga queira dar o "golpe do baú" depois do "chá da meia noite". Neste Caso o Rapaz era ingénuo coitado... foi ...para o que quis e quem mata tem de ser condenado custe o custar, a mim dói-me é o sofrimento da mãe porque penso que até ela foi enganada pelo filho, devido à ganancia de querer subir muito depressa na passerele.

Anónimo disse...

se fosse um heterossexual a matar a sua namorada, haveria manifestações desta ordem?! Está implícita aqui uma atitude verdadeiramente homofóbica! típica só de países de terceiro mundo, nem sabem o quão mal estamos a ser vistos la fora com manifestações deste género. Nem que fosse o mais "floreado" da terra, ninguém tem direito a tirar a vida a outra pessoa, ninguém! atitudes desta potenciam violência contra homossexuais assumidos, acreditem

Anónimo disse...

Antes de mais devo declarar que sou de Cantanhede. Não, não conhecia o Renato, nem tão pouco participei neste evento. A cidade é pequena, mas nao assim tão pequena. O que se passou ontem? Talvez seja uma demonstração do estado de estupefacção daqueles que conheceram o Renato e que ainda estão a tentar perceber o que se passou, onde é que falharam, como comunidade... Será uma demonstração hedionda de homofobia? Mais uma demonstração de solidariedade incondicional para um dos seus, que errou, que ao que tudo indica cometeu um crime chocante, mas ao qual não se vira costas e se renega... é culpado? acredito que sim. Será necessária uma profunda e dolorosa reflexão, não só em Cantanhede mas no país inteiro sobre o tipo de valores que transmitimos aos mais novos, pois ele é também uma vitima da cultura em que cresceu, onde a homofobia está presente, sem duvida, mas também onde se promove a ideia do sucesso fácil, onde os meios por vezes justificam os fins... A justiça fará o seu trabalho...

Anónimo disse...

Nem nos contos mais mais incríveis terão tamanho desfecho. O que leva alguém licenciado, bonito, já a ter as primeiras visibilidades televisivas a fazer aquilo? Mais se era hetero e se não estaria em causa a sua sexualidade porque teve tanto à vontade para viajar, sair e pouca vergonha em estar ao lado de um velho? Se era hetero porque não assediou a Fátima Lopes, sua agente? Porque quis ir tão longe se percebeu que Carlos Castro era homo e naturalmente iria querer algo e troca? O que quer que fosse teve 6 meses para saber o que na verdade seria a vida de estrela, que tanto procurava e que no meio dela, teria de dar o corpo ou fazer uso dele ao outro. Tudo isto faz com que todos os modelos que queiram fama e jovens actores , queiram fama, não se encostem a homos se forem heteros para não serem o mesmo, que o Renato dizia não ser e que na verdade foi.

Victor de Sousa disse...

Por muito que tente não consigo ter pena desse Renato, ele próprio procurou o outro ( que por acaso ate nem era pessoa da minha simpatia ), fingiu algo que não queria ate conseguir um passaporte para a ribalta, estava sedento de estrelato e um certo estatuto e ate o conseguiu...mas se não estava interessado em continuar ou punha as cantinhas todas na mesa ou apenas virava costas, batia com a porta e adeus...mas não, deu cabo da vida dele e tenho a certeza que vai passar um mau bocado na cadeia...agora sim,não se vai poder baixar para apanhar um sabonete no duche...mas foi ele que escolheu assim porque sabia bem o terreno que pisava. Lamento pela família.

Afonso Candale disse...

As Pessoas de Cantanhede estão a Apoiar o quê?

Se for provado como culpado do assassinato de quer serve este ou outro apoio?Acho que as pessoas da terra eram para estar sossegadinhas esperando que as forças policiais lá em Nova York façam o seu trabalho.De certeza há indícios que provam a sua inocência ou culpabilidade.Uma coisa é certa, alguém foi assassinado e quem cometeu tal crime não deve ficar impune se justiça houver neste mundo.Quem veio a mundo de forma natural não deve ser espoliado dele de forma alguma diferente.